quinta-feira, 21 de março de 2013

Decomposição natural e compostagem.

Nada como ter motivos bem às mãos para efetivar a conscientização. Hoje, dia mundial das florestas, a conscientização se dá da própria explicação da ação de decomposição da matéria orgânica através da compostagem.
  A compostagem é um processo que se assemelha muito ao processo de decomposição ocorrido na natureza... Um pequeno passeio por uma área de mata, por menor que seja, demonstra bem a ação ocorrida no meio natural e as suas interligações com a engenharia natural que permite a existência da vida.
 No início, após o surgimento da vida, nossa Terra era uma grande floresta. Animais, vegetais, insetos, bactérias e protozoários povoavam a Terra em perfeita harmonia, Tudo servia à todos, e todos serviam à tudo. Naquele tempo, não existia "lixo", o que não servia para um ser era utilizado por outros seres em um processo de "montagem e desmontagem" da matéria orgânica.
Em um sistema natural, a vida não finda, apenas passeia através dos ciclos biogeoquímicos. Tudo o que ocorre na cadeia alimentar são processos de transformação da matéria. Elementos são ligados e montam células, células se ligam e formam organismos, organismos absorvem outros organismos, desmontam as moléculas e aproveitam aquelas que lhes são necessárias, as desnecessárias são dispostas aos demais organismos, em processos contínuos e perfeitos. 
Nesse incrível sistema de "troca"de elementos, a vida toma forma e evolui, moléculas simples se tornam cada vez mais complexas, misturam-se genes e diversifica-se a biodiversidade da Terra.
 Toda essa estrutura construtiva ocorre por fatores químicos, físicos e biológicos... As plantas reciclam gases atmosféricos e energia solar, e junto com o fluxo de minerais carreados pela água transformam moléculas essenciais à alimentação primária de todos os seres... Assim funciona o primeiro nível trófico.
 
Animais e insetos consomem a matéria produzida pelas plantas na composição de suas células, a energia solar, os gases, a água e minerais existentes nas plantas passam à compor novas moléculas, novas células nascem e outras mais velhas findam... esse exercício de transformação gera novos gases e despende vapor d'água e energias. 
 A energia despendida pela ação das células geram calor, a respiração celular gera gases e as plantas os reutilizam na construção de novas células... galhos, folhas, flores e frutos. O vapor d'água gera as chuvas que alimenta os ciclos.

 Os frutos geram sementes que germinam nos solos, as sementes encontram no solo, a água das chuvas, alimento  e ar, todos necessários à sua germinação, surgem as primeiras folhas e raízes, e a energia armazenada nas sementes se findam ao primeiro contato da nova folha com a luz... A vida brota da Terra.
 Os pássaros são disseminadores de sementes, os frutos consumidos são processados e parte deles irão montar as células animais... Parte deles são descartados em forma de excreta, são laçados ao chão e carregam consigo as sementes. Durante o processo de formação do broto, parte da excreta é digerida por outros seres, materiais verdes como sobras dos alimentos dispõem de nitrogênio, os secos, como os galhos e folhas cedem o carbono, as excretas dos animais servem a água e as bactérias. Tudo acaba por servir de alimento para outro seres, materiais são montados e outros são desmontados, a Terra se enriquece em nutrientes que alimentam as semente após a sua germinação, que alimentam animais e insetos, que alimentam a Terra.
A compostagem nada mais é que, a reprodução controlada desse sistema de montagem e desmontagem da matéria orgânica que denominamos de lixo. Assim como ocorre nas florestas, a matéria orgânica excedente das nossas atividades são disponibilizadas para o consumo de outros seres, se transformando em nutrientes capazes de promover a recuperação do sistema ecológico.
 Nossas cidades já foram florestas fecundas, nosso solo é tão fértil quanto aos solos iniciais da Terra viva. Nossos resíduos são necessários à transformação dos solos, a proliferação de vegetações e a alimentação dos seres... Uma vez destruídas as florestas locais, passamos à destruir áreas de florestas nativas, a falta da cobertura verde altera o clima e nossas vontades destroem a fonte de alimentação dos seres vivos e de controle dos fluxos de chuva... Nossos animais migram e se extinguem perante a ausência dos seus habitats, nossas vidas dedilham catástrofes e vulnerabilidades. Nossas crianças e jovens precisam saber onde erramos, precisam ser capazes de decidir sobre as penalidades que nós lhes impusemos... Sejamos capazes de assumir nosso erro e de nos redimirmos frente à nova sociedade que se constrói, sejamos capazes de fomentar a construção de uma verdade única e sólida, capaz de incluir todos os seres em critérios de igualdade e cooperação.
Não há poder nesse processo de destruição, ainda há tempo de nos redimirmos e de transformarmos a realidade... A era da oneração está findando, sem bonificação de ser algum.
Salvemos nossas florestas, educamos as nossas crianças...
Luz e paz...