quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Educação para a educação...


Dentro de um padrão de interligação, a escola é dependente da formação de lideres, capazes de promover a sua justa função, pois todos os caminhos da socialização passam pela educação. Assim sendo, acredito que a escola precisa compreender que, a atual situação política do país é resultado, parte, da formação das lideranças atuais... Uma vez abdicada de seu direito de construir a sociedade, a escola aceita a sua condição de vítima dessa mesma sociedade.
Assim acontece em todos os grupos sociais, laços de sabedorias são construídos para a preservação das populações, e assim seria a realidade da educação.
Por esse motivo, acredito na identidade escolar, ou seja, a escola constrói mecanismos para a construção de saberes fundamentais ao exercício da educação... Cada ente da comunidade escolar é um agente de uma população, diferenciada em saberes e educações múltiplas, mas interligadas em uma necessidade única, viver em sua plenitude...
A vida, em matéria de educação, não está limitada ao exercício do labor, à política de formação de grupos individuais... Mais que isso, a vida é o execício da cooperação, da descoberta, da criação e da boa vivência, e isso é mais que idealismo... Politicas públicas resultam em ações políticas, ações sociais resultam em socialização... Nisso, as responsabilidades não são específicas de professor, de direção ou de alunos, é uma responsabilidade compartilhada de aprendizagens, de reconhecimentos e de aceitações, pois a vida plena é compartilhada, em igualdade e multiplicidade.
Essa é a função da escola, no meu compreender... Identificar a sua realidade existencial dentro de um contexto de comunidade e transformá-lo em elemento de integração, popularizando os seus entes, familiarizando atores. A educação é base da construção de uma civilização, qualquer conhecimento que gerar será utilizado em função da educação que deseja ser exercida... Que seja positiva, integradora, e humanitária para que possa ser elemento de retorno positivo, integrador e humanizador aos entes do seu execício, que valorize a população de acordo com a sabedoria que constrói.