quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Lixo e solo...

A associação lixo e solo é uma constante, seja na repulsa sentida pelas atuais sociedades urbanas que se utilizam dos meios de isolamento destes, seja na falta de percepção das suas propriedades como recursos naturais essenciais. O lixo nas cadeias de reposição e os solos nos processos de transformação da vida...
Embora tenhamos conhecimento das tecnologias necessárias para a recuperação destes recursos, as educações mundanas nos ensinam que há "varias outras necessidades" com as quais temos que nos importar... Assim acontece como todos os desmandos cometidos pelo homem, o consumo excessivo de carnes sem se importar com a sua forma de produção, alimentos industrializados sem a preocupação com os adivos que os compõem, a higienização, sem a necessidade de nos preocuparmos com os adivos diluídos em água,  o consumo exagerado sem a preocupação da cadeia de processos que degradam a nossa própria existência. Como vemos, os processos de degradação ambiental são consequências dos processos de degradação da educação humana... Uma pessoa consciente sabe a procedência de tudo aquilo que consome, pois percebe quais são as perdas necessárias à sua aquisição

Por isso trabalhamos a proposta do lixo, associado aos solos urbanos em nossas ações... O lixo como elemento essencial à saúde dos solos, e o solo essencial à saúde do homem. Acreditamos que a simples demonstração das propriedades relativas à essas duas vertentes da Educação Ambiental é suficiente para desencadear uma proporção inimaginável de temas passivos de ser discutidos dentro da temática educacional. Olhar por essa janela significa olhar para a co-relação existente entre a existência humana e sua própria degradação funcional na Terra.