quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Compostagem- processo natural.

A compostagem é um processo de degradação da matéria orgânica que imita a ação natural ocorrida nas matas, onde a matéria orgânica que sobra das atividades naturais da "vida" são aproveitadas por seres diversos. Para ser mais exato, em um ambiente natural, toda a matéria orgânica é alimento, seja viva, morta, em putrificação, seca e decomposta.
Para ilustrar o processo de decomposição ocorrido de forma natural, estivemos alimentando um amontoados de folhas e pequenos galhos desde o início de nossas atividades na Escola Luíza Maria Bernardes Nory, umedecendo e agregando novas folhas ao amontoado.
Esteticamente, a visão incomoda nos nossos padrões de higiene e de beleza. Em uma área urbana, há uma preocupação em manter o solo descoberto livre de "sujeiras". A cultura social pede o isolamento humano do solo, das folhas e capins. Assim, muitas áreas são impermeabilizadas, quando não, morrem em areias soltas que são constantemente varridas, o que ocasiona o carreamento de partículas que empoeiram a atmosfera através dos ventos e que são carreadas por águas das chuvas, assoreando redes de captação de águas pluviais e córregos.
Em nossa escola, não é diferente, existe uma grande área arborizada, de solo compactado e arenoso. Diariamente, e principalmente na estação presente, as folhas que cobrem o solo são recolhidas e destinadas à coleta convencional, onde acabam por aumentar o volume de matéria orgânica que chega ao aterro sanitário. Mas a nossa atividade vem mudando a realidade da escola, onde iniciamos o processo de compostagem do resíduo da preparação de alimentos em conjunto com as folhas que são recolhidas no pátio, para posterior utilização na horta. Temos hoje 10 canteiros produzindo, ainda de forma precária devido ao estado do solo, antes inativo. Entre as atividades executadas para a transformação do "lixo", temos um minhocário improvisado, montado a partir da utilização de tatames que seriam destinados ao lixo, a compostagem residual das sobras alimentícias e a área de acúmulo de folhas. Mas a primeira remessa de adubo resultante de todos os processos à ser aproveitada é proveniente da área de transformação natural, que foi irrigada, acrescida e conservada por cerca de seis meses- Local onde já havia algum material e que foi mantido- sendo retirado parte do material seco da superfície que cobria a matéria negra, rica em fibras e microrganismos, o qual foi retirado e levado à um dos canteiros para que pudesse servir de cobertura para o solo. sendo assim, só faltavam as crianças e jovens para acompanhar o processo.