terça-feira, 11 de setembro de 2012

Dois pés de alface...

Conhecedor que sou, da horticultura, cultivo em meus canteiros dois pés de variedades diferentes de "alface?" das quais não semeei, mas que surgiram ali, como eu, de teimosas que são. Pesquisando na NET, pela classificação das alfaces, o mais próximo que cheguei foi da identificação foi na semelhança entre as variedades da alface mimosa e da alface lisa, as quais, como bom entendedor que sou, se parecem na cor e formato, mas confesso não saber se são- Mesmo porque nem sei se são alfaces.
Mas, teimosias e insuficiências técnicas à parte, mesmo porque meu o interesse está na concepção de uma forma de aguçar a percepção da Terra em suas transformações, como fomentadora da vida, meus pés de alface continuaram ali, mesmo após a paralisação das atividades para adequação das ações, e continuaram ali, sob o sol forte e em terra seca. Se desenvolveram, alongaram seus caules em altura, floriram e desenvolveram sementes. Para a minha atividade, tal ocorrência compensa algumas pendências e derrotas, quando toda a ocorrência se faz ensinamento, se faz caminho para a percepção do meio, para a compreensão dos nossos vínculos com os ciclos dos elementos da Terra.
Para quem quer trabalhar a E A através da atividade prática, a continuidade, a vontade e o amor à Terra nos dá presentes todos os dias. Viva a natureza em sua simplicidade, busque perceber, interagir, estar incluso ao sistema. O tempo ajuda educa e a natureza dá o material didático, cabe a nós a persistência, a perseverança e vontade de fazer melhor.