segunda-feira, 25 de junho de 2012

Da instituição conscientizadora- escola.

Uma das coisas que aprendi trabalhando a compostagem junto à autarquia municipal é que a Conscientização Ambiental é uma atividade de introdução de conceitos e que não se faz em ações isoladas.
A Educação ou, Conscientização Ambiental é uma atividade continuada, tramada ponto a ponto, montada tijolo à tijolo. Não se faz educação ambiental sozinho e não se faz de forma instantânea, cada passo dado é um pedaço de uma pequena conquista. Hoje posso me utilizar das atividades iniciais pelo reconhecimento da minha participação, a qual não foi isolada e nem mais ou menos expressiva que as demais, as mesmas que fizeram parte deste início de atividade.
Mesmo que hoje, não exista apoio no que tange a continuidade dos processos iniciais como pensados e estabelecidos pelo estudo da causa em 2010, as atividades realizadas agora e de forma anônima, são baseadas nas atividades executadas anteriormente e uma das conclusões a que cheguei e que se mostra real é a da participação da escola, do envolvimento de todos os agentes na perspectiva de mudanças.
A escola é uma instituição formada de agentes incumbidos de um único ideal, o da formação de cidadãos, tanto na esfera intelectual quanto nas esferas produtivas, participativas, éticas, solidárias, críticas e cidadãs, Assim acredito ser a educação. Cada agente incluso no ambiente escolar assume um papel, como uma sociedade cooperada para a formação de cidadãos, ou seja, cada um tem uma função específica dentro do contesto do ensinar e os objetivos alcançados são méritos de todos, em igual proporção. Há sim, um sistema hierárquico, mas as competências e responsabilidades se somam, se complementam, como parte de um todo e em total harmonia, é um conjunto e tem que ser funcional por completo.
Desde a separação do material para a preparação do composto, realizado nas atividades da cozinha e de forma correta, a coleta de folhas nos pátios, a apara das gramas e sua destinação para a compostagem, a união dos professores, na introdução de ferramentas contidas em suas licenciaturas, a adaptação de currículos e atividades pela coordenação, a delegação de poderes e de responsabilidades por parte da direção, a participação de alunos, pais e demais agentes no processo são fatores que contribuem para o sucesso das atividades. Não há processos isolados, mas uma conjunção de processos que proporcionam caminhos e longevidade, continuidade e aprimoramento dos trabalhos.
Essa é a ideia que iniciará as atividades, e como todo início, cada tijolo agregado é uma conquista, e cada  conquista conjunta é apaixonante, assim fazemos brotar idéias e realidades, gerando compreensão, participação, fomentando o diálogo, a interatividade, a descoberta possibilidades e de competências, fomentamos a socialização, a preocupação com espaço escolar, fomentamos novos olhares, novas atitudes e novos pensares.