domingo, 6 de maio de 2012

Reutilização.

As atividades realizadas no local se encontram em fase de experimentação, contando com um espaço físico ainda não totalizado, mas com cerca de 500 mts². Todas as atividades pensadas estão em fase de experimentação, contando com canteiros para a produção de verduras e legumes, um pequeno roçado de milho e de feijões, um mine-minhocário, uma área para compostagem, uma área para decomposição natural da vegetação no solo e um coberto para atividades de bate papo com as crianças.
São disponibilizadas duas horas diárias para execução das tarefas no local, onde conseguimos em oito semanas,  totalizar 14 canteiros semeados sendo que dois já se aproximam do ponto de colheita. Nosso feijão inicia o processo de flora, temos 234 litros de rejeitos compostados, adicionados às folhas e capins existentes na área. A grama proveniente da poda dos jardins e do campo de futebol estão sendo direcionadas para o local, assim como galhos da podas das árvores são depositados em outra área para  a recuperação das folhas. ou seja, nossa área só não é sustentável devido a entrada de esterco bovino oriundo de propriedades de amigos, água canalizada proveniente do abastecimento público municipal e aquisição de sementes.
Para o futuro, esperamos captar uma boa quantidade de água das chuvas para a irrigação dos canteiros, têm-se também a intenção de introduzir um mini galinheiro para a produção de esterco e destinação de parte do lixo não utilizada na compostagem, como os resíduos de pratos e panelas. Toda esse trabalho é realizado de forma a não gerar custos, ou seja, com exceção da água e da aquisição de sementes, não houve gastos financeiros, ou seja, m total de 30 reais foram gastos para a aquisição de sementes. Para complementar a primeira fase das atividades, estamos em contato com os supermercados e demais pontos comerciais para a doação de embalagens de cebolas e batatas, as quais serão utilizadas como cobertura de sombreamento, não somente pelo valor oriundo da aquisição no comércio, que apesar de ser não ser insignificante, é uma aquisição durável e recuperável em termos de produção. A ideia é utilizar daquilo que seria destinado ao "lixo" para a utilização das atividades, computando a economia aferida a tais ações em prol do meio ambiente urbano.







A ação voluntária de atores e entidades são acrescidas à cada ideia que brota das conversas entre amigos que comentam o projeto, assim temos espantalhos confeccionados á partir de CDs velhos, formas para a produção de mudas em cartelas de ovos, irrigação- ainda não concluída- confeccionada a partir de garras  PET e muitos outros que estaremos mostrando em cada etapa de evolução.