quinta-feira, 19 de julho de 2012

.Construindo o projeto- tempo.

Fundamentada como projeto, nossa atuação está pautada em dois princípios básicos; primeiro que deve ser um projeto evolutivo, incorporando atos e atores a cada ciclo, e segundo, que deve ser continuado, pois há de respeitar as regras de construção do nosso bioma planejado, e assim como proposto, há de se integrar à paisagem local como unidade de exploração sustentável. Tenho a consciência de que tais princípios são os mais difíceis de se alcançar, uma pela postura humana da comodidade e do descrédito, e outra pela postura natural de regulação da vida, nos fenômenos biogeoquímicos que ocorrem nos estágios de construção do piloto.
Trabalhar as áreas urbanas para recuperação de solo e vegetação se torna um problema para sujeitos que, assim como eu, não conhecem sequer o pó que cobre suas botinas. Alguns passos são dados em falso, no calanguear e aos tropeções, outros já são no rastejo mesmo, de "cara" na terra, devido aos tombos aos quais a inexperiência nos acomete. Mas no final temos a comemorar bastante, pois os primeiros homens que  trabalharam a terra devem ter passado pelos mesmos problemas, e criaram a agricultura.
Nossa área há de passar por várias modificações durante o processo de estruturação, a introdução de matéria orgânica no solo permite que o mesmo se recupere, mas assim como acontece com a reconstituição de qualquer biota, a sua recuperação é regrada pelas composições que se formarão, pelas colônias e populações de decompositores e pela incorporação dos nutrientes no solo. Somos pacientes e compreendemos que existem regras para a constituição de um equilíbrio natural, que nossas ações apresentam falhas e que nossas ações são limitadas à atual condição da área. Então mostramos alguns poréns que nos acometem, desde o ataque de pragas na couve e que nos dá um baile, a ocupação do solo pelos canteiros carregados de entulho até o despertar de uma borboleta, com suas asas ainda engomadas e nossos tomates caipiras junto com aquele toque que nos falta, um pouquinho da delicadeza feminina, na florzinha azul do jardim de minha mãe.