domingo, 29 de julho de 2012

Habitat e nicho ecológico Humano.

Como população integrante da Biodiversidade da Terra, temos a necessidade de compreender como funciona o nosso meio ambiente modificado para podermos ter uma melhor compreensão das nossas ações junto à Terra e o conjunto de sua constituição.
Em um meio ambiente -no nosso caso, a área que residimos/ou as cidades- tudo o que existe tem uma finalidade, cada individuo tem uma função dentro desse ambiente, ou seja, uma ocupação a qual desempenha.
Em um meio natural, cada indivíduo também desenvolve um papel em seu meio ambiente. No meio ambiente onde uma determinada espécie vive, encontrando condições favoráveis de nutrição, procriação, moradia e segurança chamamos de habitat. O habitat humano é condicionado às necessidades de trabalho, alimentação, segurança, reprodução, lazer e outras infinidades às quais achamos necessários. Essas atividades as quais realizamos é que diferem das atividades realizadas pelos demais seres da Terra. 
Em seu habitat, cada ser vivo desempenha uma função para a manutenção do equilíbrio do meio, ou seja, chamamos de nicho ecológico. A ocupação de cada ser vivo se resume em "preservar" as condições de vida da sua espécie, assim a comunidade consegue alcançar a plenitude do seu potencial de sobrevivência. A natureza, por sua vez, se encarrega de realizar o controle deste potencial, através de uma resistência. Essa resistência é quem controla o equilíbrio do habitat com ênfase no nicho ecológico de cada espécie.
Em um meio ambiente urbano, nossas vontades trabalham como uma resistência extra, eliminando seres e condições para prover a "manutenção" das nossas vidas em nosso habitat. Somos a única espécie capaz de adaptar os mais variados habitats para a nossa sobrevivência, mas pecamos em nosso nicho ecológico, uma vez que favorecemos apenas as necessidades que achamos importantes.
O nicho ecológico humano é, pela nossa capacidade de criação de pensamentos, a manutenção das condições de vida de "todos" os demais seres e ingredientes da Terra. Talvez sejamos a parcela de maior importância dentro do conjunto, onde somos capazes de produzir sem destruir, somos capazes de captar sem eliminar e de reconstituir sem poluir. Nosso nicho ecológico foi pensado- na minha percepção- para a manutenção do sistema vivo, para a evolução da nossa população e de toda a criação terrestre, mas aprendemos a dominar e nos tornamos egoístas, ao ponto de não preservar a própria espécie, em nossa dominação dos demais recursos existentes no meio. Somos uma população capaz de criar moribundos e enfeitar habitats para a sua destruição, fomentando a desigualdade social. Nos tornamos seres tão únicos que agregamos e protegemos espaços e recursos para nosso uso exclusivo, não percebendo que não há espaço para a unidade individual de um grupo de homens, essa individualidade acaba por se tornar uma resistência à nós mesmos,"essa resistência compreende todos os fatores como a fome, enfermidades, criminalidade, desemprego, controle da liberdade, competição, além de alterações climáticas, poluição de toda a espécie, escassez de recursos naturais, redução da biodiversidade e etc, tudo o que impede o desenvolvimento do nosso potencial biótico. Então, assim acredito que somos capazes de abrir mão das nossas vontades para uma postura de maior doação, podemos trabalhar em função do reto do mundo para que tenhamos um mundo olhando por nós. É uma questão de percepção das limitações que nós mesmos nos impomos quando não exercemos nosso nicho, ou função como seres ecológicos e humanos.